Cultura

Zezé Motta na Unicamp Afro

Zezé Motta

A Roda de Conversa “Minha pele, nossa história: retratos de luta e resistência  da cultura  afro-brasileira” acontece no dia 14 de novembro, a partir das 9 horas, no Centro de Convenções da Unicamp. O evento terá a participação da cantora e atriz, Zezé Motta [Assista vídeo]. No bate-papo, a artista falará sobre a sua trajetória de mais de 50 anos de carreira, inspirada em sua biografia chamada “Um Canto e Luta e Resistência”.

No evento também será exibido o vídeo “Para não passar em banco”, elaborado pela jornalista Maria Alice Cruz em parceria com a Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (Proec) e Grupo Gestor de Benefícios Socicias (GGBS). O vídeo retrata a trajetória e vivências de alunos, funcionários e docentes negros da Unicamp.

A apresentação cultural está a cargo do Núcleo de Samba Cupinzeiro. Com 18 anos de trajetória o Núcleo Cupinzeiro é citado com um dos principais projetos de pesquisa e criação musical do Estado de São Paulo, principalmente pelo seu trabalho com o samba. Para este show o Cupinzeiro apresentará um repertório com sambas de compositores que lutaram muito pela cultura afro-brasileira como: Candeia, Wilson Moreira, Gonzaguinha, D Ivone Lara; além de composições inéditas do grupo.

Todas as atividades fazem parte do Unicamp Afro, evento que objetiva resgatar e valorizar os traços afro-brasileiros que compõem a construção da identidade do país, através de várias atividades, como oficinas, palestras e apresentações. A I Feira Afro-Brasileira da Unicamp encerrará o calendário de atividades do UnicampAfro, dia 29 de novembro..

A programação completa pode ser conferida no site www.ggbs.gr.unicamp.br/unicampafro
(Hélio Costa Júnior)

12.11.2019


Zezé Motta apresenta seu show “O Samba Mandou Me Chamar” dia 19 no Espaço Cultural Ruy Pereira

 

Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros

No próximo dia 19 de novembro, a partir das 20h, a atriz e cantora Zezé Motta apresenta no Espaço Cultural Ruy Pereira (Centro) o álbum “O Samba Mandou Me Chamar”. Zezé também participa de debate sobre ‘Resistência, Diálogo e Canto’.O evento é promovido pela  Prefeitura do Natal e  faz parte da programação do Natal em Natal 2019.  A entrada é gratuita.

O álbum “O Samba Mandou Me Chamar” foi lançado pela gravadora “Coqueiro Verde Records” e produzido por um dos maestros mais respeitados no mundo do samba, o Celso Santana, e traz músicas de Arlindo Cruz, Serginho Meriti, Lourenço, André Renato, Marquinhos PQD, Christiano Moreno, Marisa Monte, Carlinhos Brown e Erasmo Carlos.

Nascida em Campos,  Zezé Motta tem uma carreira muito expressiva como atriz.  Sua estreia no teatro se deu em 1967, com “Roda Viva”, sob direção de José Celso Martinez Corrêa e, desde então, participou do elenco de importantes peças como: “Fígaro, Fígaro”, “Arena conta Zumbi”, “A Vida Escrachada de Joana Martine e Baby Stompanato”, em 1969; “Orfeu Negro”, em 1972, e “Godspell”, em 1974, entre outras. Com passagens pelo cinema, em “A Rainha Diaba”, “Vai Trabalhar Vagabundo”, e a “Força de Xangô”, Zezé fez teste para “Xica da Silva”, e foi com este papel que recebeu todos os prêmios como atriz. A seguir, vieram “Tudo Bem”, “Águia na Cabeça”, “Quilombo”, “Jubiabá” e   “Anjos da Noite”.

Na televisão, atuou em diversas novelas como “Corpo a Corpo”, “Pacto de Sangue”, “A Próxima Vítima”, “Corpo Dourado”, “O Beijo do Vampiro” e “Sinhá Moça” da Rede Globo e, “Kananga do Japão” e “Xica da Silva” da Rede Manchete. Recentemente, a atriz participou dos filmes “Quanto vale ou é por quilo”, “Xuxa e os Duendes 2 – No Caminho das Fadas”, “Saudade” de Jurgen Brunning (Alemanha) e protagonizou um curta metragem sobre Carolina Maria de Jesus, autora do livro “Quarto de Despejo”.

Por sua voz de inegáveis recursos e seu timbre especial,  Zezé enveredou para a música em 1978, lançando um LP com a música ‘Muito prazer, Zezé’, escrita por nada mais, nada menos que Rita Lee e Roberto de Carvalho. Com o atual trabalho, lançado em 2018, Zezé finalmente se rende ao samba. É seu décimo álbum solo após sete anos fora dos estúdios.


Zezé Motta fará show no Salão do Livro de Valença

Zezé Motta - Show - Divina Saudade

O Salão do Livro de Valença (SaLiVa) será realizado de 13 a 16 de novembro na Unidade Escolar Santo Antônio. O evento que já faz parte do calendário literário da cidade está com uma programação diversificada com palestras, bate-papo literário, feira de livros, apresentações artísticas e culturais.

Nesta edição o SaLiVa conta com recursos do Governo Federal, cujo projeto foi aprovado no edital de feiras literárias da Secretaria Especial da Cultura e do Governo do Estado do Piauí, através da Secretaria de Estado da Cultura – SECULT/PI e do SIEC, além de apoio da Prefeitura Municipal de Valença do Piauí. O evento é uma realização da Fundação Quixote, Universidade Federal do Piauí (UFPI) e da Associação de Diletantes da Cultura Histórica Valenciana (ADICH).

Para o Presidente da Fundação Quixote, Kássio Gomes, levar grandes nomes da cultura nacional para uma cidade de médio porte é um desafio. “Neste ano o SaLiVa traz a maior programação já vista numa cidade do interior, por isso nossa expectativa é que nesses quatro dias Valença se transforme na capital do Livro e da leitura e que o público abrace esse grande evento”, destaca.

Dentre os palestrantes, destaque para o poeta e cordelista Bráulio Bessa, o jornalista Francisco José, o escritor Gustavo Lacombe, o poeta Salgado Maranhão, o youtuber Fred Elboni e o escritor Edmar Oliveira. E para encerrar o evento com chave de ouro, o público vai conferir a apresentação da atriz e cantora Zezé Motta, que apresentará o show ‘Divina Saudade”.
As inscrições para o SaLiVa são gratuitas e podem ser feitas pelo site www.salivapi.com.br


Espetáculo “Meus Cabelos de Baobá” ressalta a força do feminino

MEUS CABELOS DE BAOBÁMEUS CABELOS DE BAOBÁ

Nascido do  desejo de mostrar como as mulheres têm a capacidade de se reinventar através dos tempos, o espetáculo de teatro dança, “Meus Cabelos de Baobá”, fica em cartaz até 27 de outubro, sexta e sábado às 20h e domingos às 19h, no Teatro Municipal Ziembinski.  A história se desenvolve em torno de diálogos da Rainha Dandaluanda com o Baobá, árvore milenar de origem africana, que vai lhe ensinar valores africanos e despertar sua autoestima: primeiro, como menina; em seguida, como mulher e, finalmente, como rainha, consciente de sua beleza singular, de sua força ancestral e identidade negra.

A montagem que tem texto e atuação de Fernanda dias, direção de Vilma Melo, a primeira negra a ganhar o prêmio Shell na categoria de Melhor Atriz e no elenco Luiza Loroza, Ana Paula Black e Beà, apresenta a força do feminino onde os movimentos e os gestos, auxiliam na narrativa e na estética da encenação. Por meio de uma estética negra, o espetáculo valoriza a identidade negra feminina sua força e conexão com a ancestralidade de se reinventar.

“Podemos notar que no cenário cultural brasileiro os padrões e valores eurocêntricos dominam a cena. A ausência de uma estética negra, neste campo, ainda é uma ação recorrente. Trata-se de um conjunto de engrenagens que silencia de modo subliminar as mulheres, principalmente as mulheres negras”, afirma Fernanda Dias.

Inspirado em argumentos de Simone Ricco e textos da autora Conceição Evaristo, o objetivo deste espetáculo é trazer para a cena teatral uma estética que exponha a cultura da diáspora negra africana de maneira positiva, para que esta seja reveladora e que o não dito venha à tona. Deste modo, o espectador tem a possibilidade de perceber o que está por trás do que vê.

O Teatro Municipal Ziembinski fica localizado na Rua Urbano Duarte, número 30, Tijuca, Rio de Janeiro. A entrada custa R$ 30 inteira e R$ 15 meia.

SERVIÇO:

Meus Cabelos de Baobá

Local: Teatro Municipal Ziembinsk

Endereço: Rua Urbano Duarte, número 30, Tijuca, Rio de Janeiro

Temporada: de 05 de outubro até 27 de outubro

Horário: Sextas, sábados às 20h e domingos às 19h

Ingresso: R$ 30 inteira e R$ 15 meia.

Classificação: 16 anos

Duração: 50 minutos

 

 

 

21.10.2019


Zezé Motta se apresenta na Praça do Povo, em São Paulo

Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação

Luedji Luna, Mariana Aydar, Ana Canas, Emanuelle Araújo, Márcia Castro e Zezé Motta Márcia Castro e Zezé Motta Luedji Luna, Mariana Aydar, Ana Canas, Emanuelle Araújo, Márcia Castro e Zezé Motta

Luedji Luna e Zezé Motta

A atriz e cantora se apresentou no último domingo, 13, em show na Praça do Povo, na cidade de São Paulo, onde cantou as músicas (Xica da Silva) e (Chove Chuva), ambas de Jorge Ben Jor, o grande homenageado do Tributo Oba, la vem elas, promovido pela Revista Trip. No palco passaram Luedji Luna, Márcia Castro, Emanuelle Araújo, Ana Cañas e Negra Li.

16.10.2019


Zezé Motta em tela assinada por Marcela Meirelles, de Bagé-RS

Zezé Motta

10.10.2019