Cultura

I´am Rita of America

Foi numa apresentação de fim de curso no Tablado, num musical da Maria Clara, Miss Brasil, em que eu cantava I´am Rita of America que surgiu a oportunidade de saltar para o teatro profissional. Flávio São Tiago, ator, veio assistir ao espetáculo e ficou muito bem impressionado com a minha performance. Veio falar comigo nos bastidores e disse que estava no elenco de uma peça que o Chico Buarque tinha escrito e que o José Celso Martinez Corrêa ia dirigir: Roda Viva. Ia haver testes para a seleção do coro e talvez eu tivesse chance. Não tive dúvida. Na segunda-feira já estava fazendo teste; dez dias depois já estava ensaiando. Veja a minha situação: eu tinha 21 anos, era noiva e virgem.

Às vésperas da estréia, meu noivo, talvez pressionado pela família, mandou que eu escolhesse: o teatro ou ele. A paixão pela carreira falou mais alto e eu fiquei com o teatro. A peça tinha muito palavrão e até eu ficava chocada. O personagem do Pereio dizia coisas do tipo um brinde ao c. da mãe! Quando meus pais foram assistir, implorei ao Zé Celso que me deixasse de fora das cenas mais picantes. Ele me deu uma sova: Ô menina, vê se você decide o que você quer: se é enxoval ou se é teatro!

Zezé Motta

25.08.2013


Carioca da Gema!

Estreia de A Bossa é Nossa foi sucesso absoluto no Carioca da Gema! Casa lotada, todos cantando juntos aquelas músicas incríveis, num clima super gostoso!

Zezé Motta Carioca da Gema


#Xica | Agora eu quero cantar!

É incrível como a TV e o cinema acabam marcando sempre mais que qualquer outro trabalho na vida do artista. No meu caso, além das diversas novelas, teve o filme Xica da Silva, que se propagou no mundo inteiro… Ganhei todos os prêmios: AirFrance, Festival de Brasília, festivais internacionais. Viajei muito por causa do filme. Fiz, inclusive, shows nos Estados Unidos, onde eles punham no cartaz: “Show com Zezé Motta, atriz do filme Xica da Silva”.

Quando o filme estourou, eu estava fazendo uma comédia com a Eva Todor, Rendez-Vous, no Teatro Maison de France. Era um papel minúsculo. De empregada, claro. Tirava o pó dos móveis e provocava o patrão, naquela tradição de mucama que dá mole pro senhor. Entrava muda, saía calada. Antes do filme, as pessoas iam ao teatro para ver a Eva. Depois, passaram a ir para me ver também. A Eva, então, aumentou meu nome no cartaz. Adorei trabalhar com ela. Aprendi muito. Aí as pessoas me perguntavam: E agora, Zezé? E eu respondia: Agora eu quero cantar! Enfim, anos se passaram e já são 45 de carreira, mais de 13 discos e cd’s, e ainda quero gravar muitos outros… Em breve conto novidades sobre meu próximo projeto musical.

Zezé Motta

14.08.2013


#NegraMelodia dia 03 no Poa em Cena

O Negra Melodia vai abrir a 20ª edição do festival Porto Alegre em Cena, no dia 3 de setembro de 2013, às 21h,  no Araújo Vianna. O espetáculo celebra os 45 anos da minha carreira. O álbum Negra Melodia, foi gravado em 2011, em homenagem a Luiz Melodia e a Jards Macalé. No repertório, sucessos como Magrelinha, Dores de Amores, Estácio Holly Estácio, Muito Prazer, Zezé – composta por Rita Lee e Roberto de Carvalho – e Senhora Liberdade – de Wilson Moreira e Nei Lopes.
Zezé Motta Poa em Cena - Negra Melodia
Os ingressos podem ser adquiridos pelo Call Center 4003-1212, nas lojas My Ticket Moinhos e My Ticket Andradas e no Centro Municipal de Cultura Lupicínio Rodrigues.

Informações: http://www.guiadasemana.com.br/evento/shows/zeze-motta-em-porto-alegre-auditorio-araujo-vianna-03-09-2013


#Arquivos #MPB #LP #BabáAlapalá

Zezé Motta e Gilberto Gil LP lp-gilberto-gil-historia-da-musica-popular-brasileira-1982_MLB-F-3843445120_022013


‪#‎Caetano‬ ‪#‎7deAgosto‬ ‪#‎HappyBirthday‬

Caetano tem uma enorme importância no meu trabalho como cantora. Em 1978 ele fez “Pecado Original” para o meu primeiro LP, esta faixa foi um sucesso só… Na verdade todas as músicas que ganhei para este primeiro disco são divinas, e não é a toa que foram relançadas em CD pela Warner. Caetano é um gênio, um homem incrível, e um artista de se admirar. Hoje é aniversário dele, e aqui vai minha homenagem para este eterno ícone da nossa música. Seu universo é ilimitado. Não à toa, junto com Gil, comandou a tropicália, que se inscreveu como o movimento mais revolucionário da música popular brasileira, queira ele ou não. Depois da tropicália a MPB nunca mais foi a mesma, nem mesmo as guitarras roqueiras que ela introduziu no gênero e que hoje são tão familiarizadas com o pandeiro quanto o cavaquinho com o tamborim.

Zezé Motta, Caetano Veloso, Gilberto Gil