Cultura

Zezé Motta participa do programa Metrópolis na TV Cultura

Zezé Motta e a apresentadora Adriana Couto, com o disco "O Samba Mandou Me Chamar"

Zezé Motta e a apresentadora Adriana Couto, com o disco “O Samba Mandou Me Chamar”

Minon Pinho, Zezé Motta e Adriana Couto

Minon Pinho, Zezé Motta e Adriana Couto

Zezé Motta e a apresentadora Adriana Couto, com o disco "O Samba Mandou Me Chamar"

Zezé Motta e a apresentadora Adriana Couto, com o disco “O Samba Mandou Me Chamar”

Zezé Motta participou recentemente do programa Metrópolis da TV Cultura, em São Paulo, apresentado por Adriana Couto. Na entrevista, ela falou sobre ter sido homenageada na primeira edição do festival de cinema FIM e também sobre o lançamento do seu novo disco, ”O Samba Mandou me Chamar”, que saiu pela Coqueiro Verde Records.

A entrevista você confere na íntegra aqui: https://youtu.be/XBhDwvfvCfw

 

06.08.2018


Zezé Motta participa do “Mulher com a Palavra” em Salvador

Zezé Motta, Rita Batista e Gaby Amarantos Zezé Motta, Rita Batista e Gaby Amarantos Zezé Motta, Rita Batista e Gaby Amarantos Zezé Motta, Rita Batista e Gaby Amarantos Zezé Motta, Rita Batista e Gaby Amarantos Zezé Motta, Rita Batista e Gaby Amarantos Zezé Motta, Rita Batista e Gaby Amarantos Zezé Motta, Rita Batista e Gaby Amarantos Zezé Motta, Rita Batista e Gaby Amarantos Zezé Motta, Rita Batista e Gaby Amarantos Zezé Motta, Rita Batista e Gaby Amarantos Zezé Motta, Rita Batista e Gaby Amarantos Zezé Motta, Rita Batista e Gaby Amarantos Zezé Motta, Rita Batista e Gaby Amarantos Zezé Motta, Rita Batista e Gaby Amarantos Zezé Motta, Rita Batista e Gaby Amarantos Zezé Motta, Rita Batista e Gaby Amarantos Zezé Motta, Rita Batista e Gaby Amarantos Zezé Motta, Rita Batista e Gaby Amarantos Zezé Motta, Rita Batista e Gaby Amarantos

A segunda edição em 2018 do projeto ‘Mulher com a Palavra’ lotou a Sala Principal do Teatro Castro Alves (TCA), na noite desta segunda-feira (30), para prestigiar a atriz e cantora Zezé Motta, uma das figuras negras pioneiras na dramaturgia brasileira, e a cantora paraense Gaby Amarantos, ícone do empoderamento feminino. As artistas relembraram momentos importantes em suas carreiras e falaram sobre as dificuldades e preconceitos que precisaram superar ao longo dos anos.

Com 56 anos de carreira e participações em mais de 40 filmes, Zezé Motta é uma referência e inspiração para muitas mulheres brasileiras, dentro e fora do universo das artes. Para a atriz, muitas conquistas foram feitas, mas ainda existe um longo caminho a se percorrer em busca de uma sociedade mais igualitária. “A gente precisa insistir sempre contra toda forma de desigualdade de gênero e os tantos tipos de violência que as mulheres vivem todos os dias. É muito importante que tenhamos espaços como esse para debater e continuar sempre buscando soluções para virar esse jogo”.

Fotos: Edson Ruiz

01.08.2018


Fotos: Zezé Motta apresenta ‘O Samba Mandou me Chamar’ no Teatro Rival Petrobras

Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros Zezé Motta em O Samba Mandou me Chamar | Foto: Ramirez Meideiros

Lica Oliveira, Zezé Motta e Aisha Jambo | Foto: Ramirez Medeiros

Silvia Pfifer, Zezé Motta e Hugo de Souza | Foto: Ramirez Medeiros

Zezé Motta com a filha Cíntia

Cíntia e Érica Prado O ator Thiago Mendonça com amigos e Zezé Motta Vinicius Belo

Fotos: Ramirez Medeiros

28.07.2018


Zezé Motta participa do Programa do Porchat

Zezé Motta no Programa do Porchat Zezé Motta no Programa do Porchat Zezé Motta no Programa do Porchat Zezé Motta no Programa do Porchat Zezé Motta no Programa do Porchat Zezé Motta no Programa do Porchat Zezé Motta no Programa do Porchat

Zezé Motta foi a convidada do apresentador Fábio Porchat no dia 25 de julho de 2018. No programa, a atriz falou sobre os 50 anos de carreira e também sobre o lançamento do seu novo disco, ‘O Samba Mandou Me Chamar‘. A entrevista completa, vocês conferem aqui: https://www.youtube.com/watch?v=4R3dNyruueo

26.07.2018


Zezé Motta fará lançamento do disco “O Samba Mandou me Chamar” no Rival Petrobras:

Zezé Motta no Rival Petrobras

15.07.2018


Fotos: Zezé Motta homenageada no Festival FIM

Zezé Motta

Zezé Motta

Zezé Motta

Zezé Motta

Zezé Motta e Minom Pinho

Zezé Motta e Minom Pinho

Zezé Motta e Minom Pinho

Zezé Motta e Minom Pinho

Zezé Motta e Adriana Couto

Zezé Motta e Adriana Couto

Zezé Motta e Adriana Couto

Zezé Motta e Adriana Couto

Zezé Motta

Zezé Motta

Zezé Motta

Zezé Motta

Zezé Motta e com a afilhada Nina Morena

Zezé Motta e com a afilhada Nina Morena

Zezé Motta e com a afilhada Nina Morena

Zezé Motta e com a afilhada Nina Morena

Zezé Motta

Zezé Motta

Zezé Motta e com a afilhada Nina Morena

Zezé Motta e com a afilhada Nina Morena

Zezé Motta

Zezé Motta

Zezé Motta e Patrick Leblanc

Zezé Motta e Patrick Leblanc

Zezé Motta e Vinicius Belo

Zezé Motta e Vinicius Belo

Sofia Carvolhosa e Renata Martins

Sofia Carvolhosa e Renata Martins

Debora Ivanov e Zezé Motta

Debora Ivanov e Zezé Motta

Uma homenagem à atriz Zezé Motta e a exibição do primeiro longa-metragem de Elisa Bracher marcaram a abertura da primeira edição do FIM – Festival Internacional de Mulheres no Cinema. A cerimônia, realizada no Cinesesc em São Paulo (SP), contou com a presença de profissionais de diferentes áreas do audiovisual brasileiro e deu início à programação focada no protagonismo feminino que fica em cartaz na capital paulista até o dia 11 de julho.

Um dos maiores nomes do cinema nacional, Zezé foi ovacionada ao subir ao palco. “Muitos jornalistas me perguntaram como é receber esta homenagem, como estou me sentindo. E não dá para definir em uma palavra ou uma frase. Estou feliz, alegre, emocionada”, afirmou a atriz, antes de arrepiar a plateia cantando versos de “Minha Missão”, música de João Nogueira e Paulo Cesar Pinheiro.

Mestre de cerimônias da abertura, a jornalista e apresentadora Adriana Couto destacou as diferentes mostras e as 29 diretoras com filmes no festival. A gerente de ação cultural do Sesc São Paulo, Rosana Cunha, destacou o programa formativo do FIM, que será realizado no Centro de Pesquisa e Formação da entidade. “Teremos uma semana muito produtiva para que todos possam, juntos, construir novos caminhos”, comentou.

A diretora da Agência Nacional do Cinema (Ancine), Debora Ivanov, ressaltou os alarmantes números relativos à participação feminina no audiovisual. Em 2017, apenas 16% dos filmes brasileiros lançados nos cinemas foram dirigidos por mulheres, e nenhuma delas negra. “Conto com todos vocês, pois só juntos vamos conseguir dar fim a essa desigualdade”, disse.

A idealizadora e diretora-geral do FIM, Minom Pinho, contou que números como estes motivaram a criação do festival. Afirmou, também, que a igualdade de gênero e raça só tornará ainda mais rico o imaginário construído pelo audiovisual. “O espaço das mulheres deve ser todos os espaços, todas as telas”, considerou.

Depois dos discursos, o público pôde assistir ao filme de abertura do FIM, “Que Língua Você Fala? Primeiro longa-metragem de Elisa Bracher, conhecida pela consolidada carreira nas artes plásticas. Por meio de depoimentos, a produção aborda o enfrentamento e a adaptação a uma nova língua e cultura, algo que a diretora também relacionou à igualdade de gênero. “Talvez existam questões de linguagem que a gente tenha de entender”, afirmou. “Precisamos conseguir falar com o maior número de pessoas.”

A cerimônia de abertura foi realizada após um intenso dia de discussões sobre a mulher no cinema que aconteceram no próprio Cinesesc, palco da segunda edição do Seminário Internacional Mulheres do Audiovisual. Realizado pela Ancine de forma concomitante ao FIM, o evento promoveu a assinatura de um Pacto Anti-Assédio para o setor audiovisual e contou com a participação de convidadas nacionais e estrangeiras, incluindo as americanas Fanshen Cox DiGiovanni, uma das criadoras da cláusula por diversidade nos sets conhecida como “inclusion rider”, e Mercedes Cooper, diretora de marketing da ARRAY, empresa criada pela cineasta Ava DuVernay.

O FIM é uma iniciativa da Casa Redonda realizada em parceria com a Associação Cultural Kinoforum, com o apoio do Sesc São Paulo e do Grupo Mulheres do Audiovisual Brasil. É patrocinado pela Avon por meio do FAMA – Fundo Avon de Mulheres no Audiovisual, iniciativa da empresa com foco na equidade de gêneros no setor audiovisual brasileiro.

04.07.2018