Retratos da minha vida

O SORRISO DE ZEZÉ…

  • O SORRISO DE ZEZÉ.

    Acordei e vi no jornal os setenta anos de Zezé Motta. Quer dizer, vi uma foto de uma escultura feita para homenageá-la. O que, além de seu talento impecável, (não sei se este é o melhor adjetivo, mas vamos lá) me fascina em Zezé: voz, a sua forma de cantar, seu jeito carinhoso com todos, o “fechar” os olhinhos quando sorri. Ah! sim, seu sorriso! Descobri que desde sempre, há muito, sou apaixonado pelo seu lindo sorriso. Parabéns, Zezé!
    E o seu sorriso me levou a buscar o que, volto a dizer, além do talento, me seduz em certas pessoas, certas “paixões” minhas. Claro que para me apaixonar por um detalhe, apaixono-me pelo conjunto antes:
    Sou apaixonado pela voz da Maria Pompeu, pelo charme de Fernanda Montenegro, pela altivez de Bethânia, pela garra de Elza Soares, seu molejo e voz.
    Não me esqueço de Tônia Carrero, nunca.
    Sérgio Brito, Fernando Torres, Paulo Gracindo.
    Gosto de ouvir Lima Duarte contando “causos”.
    Escrevo e releio: nossa, como estou meio “démodé”.
    Não mandei nenhum beijinho no ombro…
    Pouco importa.
    Apaixonei-me por Bibi no Alô Dolly. Amor eterno.
    Marília Pêra me deixa de boca aberta com seus personagens: qualquer um.
    Estou fazendo força para falar dos mais jovens. Se não der, ficará para um outro dia. Sou passsadistaa. Descobri.
    Lembrei-me neste exato momento de Tango, peça que vi com Teresa Rachel, tão estrela, tão sumida.
    Etty Frazer que me encantava semppre com suas aparições. Eu achava que quando ela entrava em cena teríamos uma receita de um prato qualquer de comida italiana ou veríamos a grande atriz fazer comercial de Pomarola.
    Lauro Corona! Como era bonitinho e talentoso.
    Bonita e talentosa era também Maria Cláudia, (vi há pouco tempo num teatro, na plateia).
    Gostaria muito de poder amar algum político como amo meus artistas. Mas eles não deixam. Não se fazem amados nunca.
    Detestam ser admirados.
    E vão passando por minha memória belos olhos, belos sorrisos, belos trabalhos. Belos feitos.
    Tenho orgulho de poder ter visto”ao vivo”( desculpem o pleonasmo):
    Elis Regina em Transversal do Tempo, Bibi (8 vezes) em Gota d”Água( 8 vezes já dava um balde d’agua!), Sérgo Brito fazendo Yung, Os doces bárbaros, eta Brasil….
    Tanta coisa boa que não cabe aqui não.
    Aqui, se o texto passar de 15 linhas, o “ibope” abaixa.
    Me disseram assim: se for para ler texto grande, vou para o livro.
    Então tá: parabéns Zezé Motta – você merece tudo e mais um pouquinho.
    Um beijo do fã que você nem conhece, mas que já sentiu muitas alegrias te assistindo!

    ERNANI MAZZA em 2/03/2014 em Copacabana – RJ

    O SORRISO DE ZEZÉ

    O SORRISO DE ZEZÉ

30.03.2014


Trinca do Bem! Zezé, Sheron e Léa.

As atrizes Zezé Motta, Lea Garcia e Sheron Menezes se encontram durante o lançamento do evento 7º encontro de cinema negro Brasil, África e Caribe, na Barra.

Zezé Motta, Sheron Menezes e Léa Garcia

 

Foto: Anderon Borde / Ag.News

26.03.2014


Zezé Motta ganha escultura do artista Valmon Rodrigues da Silva

Valmon não é somente escultor, ele também excelente é músico e compositor. O artista começou a esculpir as suas fantasias e sonhos aos seis anos de idade. Com o passar dos anos  descobriu sua paixão e talento pela música. Para confeccionar as esculturas Valmon utiliza madeira, argila, poliepóx, papel, pedras, arames, além de muita inspiração e outros objetos que encontra em lugares especiais durante suas viagens pelo Brasil e pela Europa. As esculturas que têm como tema aspectos sociais, fantasias, sonhos, espiritualismo e MPB, são únicas e expressam com sensibilidade e autenticidade o caráter e o sentimento do artista. Valmon vem apresentando seu trabalho como escultor e músico no Brasil e na Europa em diversos eventos culturais. Suas esculturas foram expostas na “Alte Brauerei Stegen” no Ammersee, e na Alemanha.

 

Estatueta Zezé Motta, por Valmon Rodrigues da Silva

1549253_644366952295137_314332913_n


Negros na TV

Só víamos muitos negros numa mesma novela se o assunto fosse escravidão. No caso, se eu já estivesse no ar, a Neusa Borges, que é da minha mesma faixa de idade, não seria escalada. O Zózimo Bulbul, se ele fosse chamado para uma novela, as chances do Pitanga diminuíam. Hoje vemos de seis a oito negros ao mesmo tempo num mesmo folhetim. E com papéis variados… Mas se nos basearmos no número de negros do Brasil, a representatividade na TV ainda é muito pequena.

_proxima_vitima-zeze_motta_camila_pitanga

25.03.2014


Anos 80, no Jô Soares.

Zezé Motta no Jô Soares

Eu sei que vocês adoram quando eu mexo no baú, ou então quando conto umas pérolas… Programa do Jô, década de 80, TV SBT, canal 4, São Paulo. O crédito da foto é do Moacyr dos Santos. Meu visual era andrógino, eu amava preto, couro, botas,e por aí vai… Lembro-me que uma vez fui para New York e tentei puxar assunto com o taxista, achei estranho pois eu falava, e ele fingia que não me ouvia, ou melhor, não queria me dar assunto. Ao descer do taxi ele me falou: – eu não falo com travestis! Lembro disso e dou risadas até hoje!!!


Zezé Motta: Samba enredo!

Em 1989 Zezé Motta foi homenageada com o enredo: Zezé, um canto de amor e raça, pela escola de samba Arrastão de Cascadura, que desfilava na Marques de Sapucaí pelo grupo A. Confira o samba que diz: “É Zezé nos braços da multidão…” http://www.ouvirmusica.com.br/arrastao-de-cascadura/1755851/#mais-acessadas/1755851

Zezé Motta homenageada pela Arrastão de Cascadura em 1989

06.03.2014