Forum Mulheres sem Fronteiras

Zezé Motta e Maria Helena Prill

Zezé Motta e Maria Helena Prill

O Fórum Mulheres Sem Fronteiras, que aconteceu no último dia 26, em Brasília, trouxe importantes debates sobre a questão das mulheres no Brasil e no mundo. A presidente do PMDB Mulher, deputada Fátima Pelaes, fez parte da mesa ao lado da responsável pelo evento a jornalista Maria Lúcia d’Ávila Pizzolante, da contra-almirante, Dalva Mendes, da presidente da bancada feminina na Câmara dos Deputados, Jô Moraes, da deputada federal, Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), e da vice-ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, Lourdes Bandeira.

A fala da deputada Fátima Pelaes marcou o início do evento. “Não podemos tratar os desiguais de forma igual. Em 2012 já tivemos um aumento de 80% de mulheres candidatas, hoje, o movimento de mulheres enfrenta o desafio de ter esse número de eleitas. Devemos ficar juntas para tornar a sociedade melhor e mais fortalecida”, ressaltou a deputada. A história política de Fátima Pelaes foi lembrada e elogiada pela jornalista Maria Lúcia d’Ávila Pizzolante, que fez questão de falar sobre a admiração e respeito que tem pela deputada.

A contra-almirante, Dalva Mendes, fez um declaração breve, mas comovente. “Nossas mulheres precisam perceber o quanto elas são capazes, que sonhos podem se transformar em realidade. Acredite em nós e conseguiremos chegar lá”, disse. Dalva Mendes é a primeira mulher oficial-general das Forças Armadas do Brasil ao assumir o posto de contra-almirante em 2012.

“O lema ‘Mulheres do Mundo Uni-voz’ desse Fórum significa que ultrapassamos as fronteiras que lutamos para ter autonomia. Berhta Lutz começou a luta pela participação feminina no Congresso Nacional. Claro que essa luta tem altos e baixos, mas temos avanços, como a Secretaria de Política para as Mulheres e a Lei Maria da Penha”, destacou a vice-ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, Lourdes Bandeira.

Tive o prazer de ser a MC deste evento que  incluiu em sua programação uma série de palestras, como a da historiadora Maria Lídia Lyra e da socióloga Cristina Buarque. A presença de mulheres do PMDB, militantes e parlamentares, também foi marcante.

Para encerrar o evento, a cantora Ellen Oléria subiu ao palco com um repertório de músicas que faziam referência a história de luta dos negros, das mulheres e dos desfavorecidos. O estilista Álvaro O’Hara finalizou a solenidade com um desfile em que homenageou as deusas africanas.