Fotos – Zezé Motta reestreia o show “Coração Vagabundo – Zezé canta Caetano”:

Zezé Motta. Coração Vagabundo. Credito Marcelo Castello Branco (1) Zezé Motta. Coração Vagabundo. Credito Marcelo Castello Branco (1) Zezé Motta. Coração Vagabundo. Credito Marcelo Castello Branco (1) Zezé Motta. Coração Vagabundo. Credito Marcelo Castello Branco (1) Zezé Motta. Coração Vagabundo. Credito Marcelo Castello Branco (1) Zezé Motta. Coração Vagabundo. Credito Marcelo Castello Branco (1) Zezé Motta. Coração Vagabundo. Credito Marcelo Castello Branco (1) Zezé Motta. Show Coração Vagabundo. Credito Bernardo Cartolano (6) Zezé Motta. Show Coração Vagabundo. Credito Bernardo Cartolano (6) Zezé Motta. Show Coração Vagabundo. Credito Bernardo Cartolano (6) Zezé Motta. Show Coração Vagabundo. Credito Bernardo Cartolano (6) Zezé Motta. Show Coração Vagabundo. Credito Bernardo Cartolano (6) Zezé Motta. Show Coração Vagabundo. Credito Bernardo Cartolano (6) Zezé Motta. Show Coração Vagabundo. Credito Bernardo Cartolano (6)

Zezé Motta. Show Coração Vagabundo. Credito Bernardo Cartolano (6)

Lançado nos anos 90, show intitulado “Coração Vagabundo – Zezé canta Caetano” traz Zezé e seu lado cantora interpretando 22 obras do compositor.

Não existe falar da Música Popular Brasileira sem nos depararmos com um dos maiores gênios da história: Caetano Veloso. Com uma discografia que reúne mais de 60 discos e centenas de composições que embalam gerações e mais gerações, sendo considerado internacionalmente um dos melhores compositores do século XX, o artista retorna em 2020 ao repertório de uma das maiores cantrizes do Brasil no show “Coração Vagabundo – Zezé canta Caetano”, originalmente estreado em setembro do ano de 1990 por Zezé Motta no Teatro Rival, no Rio de Janeiro, com direção de Carlos Prieto.

Com uma carreira de mais de 50 anos na televisão, no cinema e na música, Zezé Motta já gravou discos e estreou shows homenageando seus compositores favoritos. Sua história com o músico baiano, dono de uma obra farta e repleta de boas composições, aconteceu em 1978 quando a artista lançou o LP “Zezé Motta” (Warner), onde compositores do porte de Rita Lee, Luiz Melodia e Moraes Moreira entregavam canções inéditas para ela levar aos estúdios. Foi ali estreia da cantriz no mercado fonográfico e lá estava Caetano, entregou “Pecado Original” para Zezé gravar. No ano seguinte (1979) lá estava Zezé Motta interpretando Pecado Original no Programa Mulher 80, na TV Globo, que reuniu grandes estrelas da música brasileira. A gravação da obra por Zezé nunca mais foi a mesma depois de sua interpretação. Anos mais tarde Zezé grava “Miragem de Carnaval” a convite do próprio Caetano para o filme Tieta, de Cacá Diegues, onde também atuou como atriz. Em 2015 uma grande surpresa! Caetano diz a Nelson Motta que foi Zezé Motta que o inspirou no clássico “Tigresa”, de 1977. Até então se dizia que Sônia Braga tinha sido a fonte inspiradora dos versos “Uma tigresa de unhas negras e íris cor de mel/ Uma mulher, uma beleza que me aconteceu/ Esfregando a pele de ouro marrom do seu corpo contra o meu.” Zezé ficou naturalmente lisonjeada com a revelação deste velho segredo da MPB. “Foi um presente lindo no início de 2015 saber que fui a musa inspiradora de ‘Tigresa’. Na época, quando essa inspiração era boato, eu ficava tímida sobre o assunto”, diz Zezé Motta. 

O show “Coração Vagundo – Zezé canta Caetano” é um alento àqueles que consomem MPB, as obras de Caetano, e o poderoso timbre contralto de uma artista que é ícone negro da cultura brasileira. Zezé Motta faz uma releitura de seu próprio show lançado nos anos 90 mas com uma roupagem voz e piano, criando um cenário intimista e ao mesmo tempo caloroso. Luz do Sol, O Ciúme, Odara, Esse Cara, Sampa e Tigresa fazem parte do repertório.

Duração: 1 hora e 15 minutos  

Classificação: 14 anos