I´am Rita of America

Foi numa apresentação de fim de curso no Tablado, num musical da Maria Clara, Miss Brasil, em que eu cantava I´am Rita of America que surgiu a oportunidade de saltar para o teatro profissional. Flávio São Tiago, ator, veio assistir ao espetáculo e ficou muito bem impressionado com a minha performance. Veio falar comigo nos bastidores e disse que estava no elenco de uma peça que o Chico Buarque tinha escrito e que o José Celso Martinez Corrêa ia dirigir: Roda Viva. Ia haver testes para a seleção do coro e talvez eu tivesse chance. Não tive dúvida. Na segunda-feira já estava fazendo teste; dez dias depois já estava ensaiando. Veja a minha situação: eu tinha 21 anos, era noiva e virgem.

Às vésperas da estréia, meu noivo, talvez pressionado pela família, mandou que eu escolhesse: o teatro ou ele. A paixão pela carreira falou mais alto e eu fiquei com o teatro. A peça tinha muito palavrão e até eu ficava chocada. O personagem do Pereio dizia coisas do tipo um brinde ao c. da mãe! Quando meus pais foram assistir, implorei ao Zé Celso que me deixasse de fora das cenas mais picantes. Ele me deu uma sova: Ô menina, vê se você decide o que você quer: se é enxoval ou se é teatro!

Zezé Motta