Zezé Motta no ‘A Arte do Encontro’

Tony Ramos e Zezé Motta

Tony Ramos e Zezé Motta

Sinopse: Tony Ramos volta às telas do Canal Brasil na quarta temporada de “A Arte do Encontro”. Tony continua recebendo seus convidados para encontros espontâneos sem roteiro previamente estipulado. Mas a nova leva de episódios, dirigidos por Felipe Nepomuceno, vem cheia de novidades: além de ensaios, poesias, trechos de livros e peças de teatro – já presentes em anos anteriores –, roteiros de cinema e letras de música também serão lidos durante das entrevistas. Mais uma vez, o cenário é intimista, apenas com uma mesa e pouca iluminação, e o que prevalece é a arte. Entre os nomes presentes nesta temporada estão Miguel Falabella, Gregorio Duvivier, Claudia Abreu, Karine Teles, Jorge Furtado, Zezé Motta, Lucinha Araujo, Dan Stulbach, Conceição Evaristo e Osmar Prado.

Neste episódio: A atriz Zezé Motta classifica a arte como primordial para encarar a realidade, destaca a importância da representação na sua vida e demonstra angústia com o crescimento das desigualdades no mundo. (https://globosatplay.globo.com/canal-brasil/v/8059002/)

12.11.2019


Espetáculo “Meus Cabelos de Baobá” ressalta a força do feminino

MEUS CABELOS DE BAOBÁMEUS CABELOS DE BAOBÁ

Nascido do  desejo de mostrar como as mulheres têm a capacidade de se reinventar através dos tempos, o espetáculo de teatro dança, “Meus Cabelos de Baobá”, fica em cartaz até 27 de outubro, sexta e sábado às 20h e domingos às 19h, no Teatro Municipal Ziembinski.  A história se desenvolve em torno de diálogos da Rainha Dandaluanda com o Baobá, árvore milenar de origem africana, que vai lhe ensinar valores africanos e despertar sua autoestima: primeiro, como menina; em seguida, como mulher e, finalmente, como rainha, consciente de sua beleza singular, de sua força ancestral e identidade negra.

A montagem que tem texto e atuação de Fernanda dias, direção de Vilma Melo, a primeira negra a ganhar o prêmio Shell na categoria de Melhor Atriz e no elenco Luiza Loroza, Ana Paula Black e Beà, apresenta a força do feminino onde os movimentos e os gestos, auxiliam na narrativa e na estética da encenação. Por meio de uma estética negra, o espetáculo valoriza a identidade negra feminina sua força e conexão com a ancestralidade de se reinventar.

“Podemos notar que no cenário cultural brasileiro os padrões e valores eurocêntricos dominam a cena. A ausência de uma estética negra, neste campo, ainda é uma ação recorrente. Trata-se de um conjunto de engrenagens que silencia de modo subliminar as mulheres, principalmente as mulheres negras”, afirma Fernanda Dias.

Inspirado em argumentos de Simone Ricco e textos da autora Conceição Evaristo, o objetivo deste espetáculo é trazer para a cena teatral uma estética que exponha a cultura da diáspora negra africana de maneira positiva, para que esta seja reveladora e que o não dito venha à tona. Deste modo, o espectador tem a possibilidade de perceber o que está por trás do que vê.

O Teatro Municipal Ziembinski fica localizado na Rua Urbano Duarte, número 30, Tijuca, Rio de Janeiro. A entrada custa R$ 30 inteira e R$ 15 meia.

SERVIÇO:

Meus Cabelos de Baobá

Local: Teatro Municipal Ziembinsk

Endereço: Rua Urbano Duarte, número 30, Tijuca, Rio de Janeiro

Temporada: de 05 de outubro até 27 de outubro

Horário: Sextas, sábados às 20h e domingos às 19h

Ingresso: R$ 30 inteira e R$ 15 meia.

Classificação: 16 anos

Duração: 50 minutos

 

 

 

21.10.2019


Zezé Motta e Hebe Camargo nos anos 80

Zezé Motta e Hebe Camargo

21.10.2019


Zezé Motta em Porto dos Milagres

Zezé Motta e Camila Pitanga na Novela Porto dos Milagres - Globo

Zezé Motta na Novela Porto dos Milagres - Globo

Zezé Motta na Novela Porto dos Milagres - Globo

O canal Viva está exibindo a novela “Porto dos Milagres”, escrita por Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares, originalmente exibida pela Globo em 2001. Zezé Motta foi Mãe Ricardina, uma mãe de santo venerada e consultada pelo povo do cais. Em seu terreiro está o peji de Yá, como era chamada Iemanjá pelos negros grunci, de uma remota nação africana. Ialorixá das mais respeitadas, tem forte ascendência sobre os marítimos e suas famílias. Quem aqui se lembra do sucesso que foi?

 

17.10.2019


Zezé Motta nos anos 80

Zezé Motta nua

 

Uma lembrança de quando a vida era mais divertida, livre, leve e nua. Fazíamos arte sem muitos artifícios. Ou era, ou não era. Colava ou não colava. Não tinha meio termo. Aliás não existia o meio… Com vocês uma era, anos 80… irreverente! E o Motta com 1 “T” só. Beijos e axé de quem viveu, vive e se Deus quiser viverá ainda mais. (disse Zezé Motta)

16.10.2019


Zezé Motta se apresenta na Praça do Povo, em São Paulo

Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação Zezé Motta no show Oba, Lá Vem Elas, Trip Transformadores | Foto: divulgação

Luedji Luna, Mariana Aydar, Ana Canas, Emanuelle Araújo, Márcia Castro e Zezé Motta Márcia Castro e Zezé Motta Luedji Luna, Mariana Aydar, Ana Canas, Emanuelle Araújo, Márcia Castro e Zezé Motta

Luedji Luna e Zezé Motta

A atriz e cantora se apresentou no último domingo, 13, em show na Praça do Povo, na cidade de São Paulo, onde cantou as músicas (Xica da Silva) e (Chove Chuva), ambas de Jorge Ben Jor, o grande homenageado do Tributo Oba, la vem elas, promovido pela Revista Trip. No palco passaram Luedji Luna, Márcia Castro, Emanuelle Araújo, Ana Cañas e Negra Li.

16.10.2019