Programa da Xuxa recebe Zezé Motta e elenco de Escrava Mãe

No game Adivinhokê, os atores de Escrava Mãe, Gabriela Moreyra, Zezé Motta e Fernando Pavão enfrentam o elenco de A Terra Prometida, que será representado por Igor Rickli, Maytê Piragibe e Leonardo Miggiorin

No game Adivinhokê, os atores de Escrava Mãe, Gabriela Moreyra, Zezé Motta e Fernando Pavão enfrentam o elenco de A Terra Prometida, que será representado por Igor Rickli, Maytê Piragibe e Leonardo Miggiorin

 

03.08.2016


Zezé Motta canta Caetano Veloso no Piauí

Zezé Motta, Maria Alcina e Cida Moreira

Zezé Motta Zezé Motta Zezé Motta

Nesta terça-feira (2) o projeto Seis e Meia levou ao palco do Theatro 4 de Setembro um espetáculo formado por três grandes vozes da MPB: Zezé Motta, Maria Alcina e Cida Moreira, onde apresentaram “Corações Vagabundos”, uma montagem onde o trio interpreta um dos compositores mais importantes da música popular: Caetano Veloso.

03.08.2016


Zezé Motta participa do projeto ‘MPB – A Alma do Brasil’ no BNDES

Fagner e Zezé Motta no palco do BNDES

Intérpretes como Claudette Soares, Danilo Caymmi, Fagner, João Bosco, Leny Andrade, Márcio Gomes, Mart´nália, Zelia Duncan e Zezé Motta contarão a história da nossa música cantando canções de 20 compositores.

A lista inclui monstros sagrados como Chiquinha Gonzaga, Lamartine Babo, Noel Rosa e Pixinguinha. Tudo isso interligado pela narração de Fernanda Montenegro e Ricardo Cravo Albin.

O Choro ‘Flor amorosa’, de Joaquim Calado, abre o espetáculo que passará por Chiquinha Gonzaga, Ernesto Nazareth, Donga, Pixinguinha, Ary Barroso, Ataulfo Alves, Caetano Veloso, Chico Buarque e Gilberto Gil, entre outros.

Gonzagão fecha a primeira noite e Gonzaguinha fecha a segunda.

Um tributo que promete emocionar será o que Imyra, filha de Taiguara, fará ao pai cantando, ao lado da amiga do artista Claudette Soares. Além dos sucessos ‘Universo do teu corpo’ e ‘Hoje’, será lembrada ‘Cavaleiro da esperança’, música feita para o líder socialista Luís Carlos Prestes.

Também subirão ao palco do Espaço Cultural BNDES As Cantoras do Rádio (Doris Monteiro, Ellen de Lima e Luciene Franco), Ataulfo Alves Júnior, João Carlos Assis Brasil, Marcos Sacramento e Simone Mazzer.

As apresentações acontecerão às vésperas do início das Olimpíadas, quando mais de cinco mil jornalistas estarão no Rio e poderão conhecer a diversidade e beleza universal da MPB. Os dois shows são um realização do Instituto Cultural Cravo Albin, com apoio do BNDES e Ministério da Cultura. Será arrecadado alimento não perecível para o Retiro dos Artistas.

01.08.2016


A negritude de Josephine Baker

Josephine Baker

Josephine Baker nasceu em 1906, nos EUA. A mãe, uma lavadeira que havia sonhado em se tornar bailarina; o pai era músico. Ele abandonou a família assim que Josephine nasceu. Desde os 8 anos, Josephine trabalhou como babá e limpava mansões de brancos ricos, para ajudar no sustento da família. Era sempre mal tratada pelos patrões. Aos 13 anos, fugiu de casa. Encontrou trabalho de garçonete numa casa noturna. Aos 15 anos, se casou com William Baker, de quem manteve o sobrenome,mesmo depois do divórcio.Sua estreia aconteceu no teatro de Champs-Elysées, Paris, em 1925, onde fez uma dança selvagem, se contorcionando, cantando com voz de passarinho tropical e usando apenas uma tanga de penas. Ninguém tinha visto coisa igual (nota do editor: no filme ‘Meia-noite Em Paris’, de Woody Allen, tem uma cena rápida que reproduz a dança). Em Berlim, Josephine Baker teve o seu primeiro contato com o racismo na Europa. Os nazistas começavam a ganhar terreno. Com vaias, os simpatizantes do nazismo impediam suas apresentações. Em alguns jornais, ela era difamada como “macaca”. Como penitência “pelos graves delitos contra a moral, cometidos por Josephine Baker”, a cidade de Viena mandou celebrar missas especiais durante as suas apresentações. Josephine buscou refúgio nos Estados Unidos, porém, em Nova Iorque, foi expulsa de um restaurante “só para brancos”. Decepcionada, ela retornou a Paris. Esteve no Brasil pela primeira vez em 1929. Apresentou-se no Teatro Cassino, no Rio de Janeiro. Voltou em 1952 e contracenou com Grande Otelo no show “Casamento de Preto”, onde cantava “Boneca de Piche” em português.

22.07.2016


Cida Moreira, Maria Alcina e Zezé Motta em Corações Vagabundos, dia 02 de agosto em Teresina

Corações Vagabundos, Caetano Veloso, Zezé Motta, Cida Moreira e Maria Alcina

21.07.2016


Zezé Motta – A Deusa de Ébano, homenagem na Acadêmicos do Sossego no carnaval 2017

Zeze Motta enredo Acadêmicos do Sossego, carnaval 2017

A escola de samba GRES Acadêmicos do Sossego​ recebeu os sambas que vão concorrer pelo hino oficial da agremiação para os desfiles de 2017. A escola que vai abrir os desfiles da Sapucaí, levará para a Avenida o enredo “Zezé Motta – a Deusa de Ébano”, desenvolvido pelo carnavalesco Márcio Puluker. Ouça os sambas concorrentes: http://bit.ly/2agsbcD

20.07.2016