Zezé Motta no filme 4×100 – Correndo Por um Sonho

Zezé Motta no filme 4x100 - Correndo Por um Sonho

Zezé Motta no filme 4x100 - Correndo Por um Sonho

Zezé Motta no filme 4x100 - Correndo Por um Sonho

Zezé Motta no filme 4x100 - Correndo Por um Sonho

4×100 – Correndo por um Sonho, filme com Thalita Carauta, foi  filmado antes da pandemia e chega dia 24 de junho nos cinemas. O filme conta ainda com os atores Augusto Madeira, Fernanda de Freitas, Zezé Motta e Kauê Telloli no elenco.

Após uma derrota no mundial de revezamento 4×100 marcar para sempre as vidas das atletas. Anos depois, Maria Lúcia, a culpada pela eliminação, segue brilhando no atletismo e na mídia, enquanto Adriana, que trabalhou duro na competição, vive frustrada de pequenas lutas de MMA. Agora, elas têm uma nova chance de reescrever suas histórias. Será que essa dupla conseguirá deixar suas desavenças de lado pelo grupo e provar que o atletismo feminino segue mais forte do que nunca?

O produtor Caio Gullane revela o porquê de apostar no atletismo: “Enxergamos uma grande potência narrativa pelo fato do 4×100 – Correndo por um Sonho ser uma das poucas categorias dessa modalidade esportiva que requer uma equipe muito unida e sincronizada e, para além, que conta com a passagem de bastão por todas as integrantes da equipe. Entendemos que esse ato em si, da passagem, acaba sendo muito cinematográfico: a necessidade de se trabalhar em grupo para alcançar o objetivo final. É bastante simbólico e há um espelhamento das características dessa categoria na própria dramaturgia: as protagonistas são guiadas por essa necessidade de deixar as diferenças de lado e se juntarem para ir atrás de um sonho em comum”.

Sabe quando você deseja atingir uma meta, quando toda a tensão se acumula antes da largada? O que mais une as pessoas: uma tragédia ou um sonho? Embarque nesse clima pré-competição no trailer (acima). O mesmo clima que domina os bastidores dos treinos das atletas Adriana (Thalita Carauta), Maria Lúcia (Fernanda Freitas), Rita (Roberta Alonso), Bia (Priscila Steinman) e Jaciara (Cintia Rosa). Nas Olimpíadas do Rio, elas perderam a chance de conquistar a medalha de ouro. E agora, anos depois, em Tóquio, como será?

Retomar os treinos não será fácil. A relação de Adriana e Lúcia está abalada, e cada uma segue uma trajetória diferente. Mas um novo desafio, a competição de 2021, em Tóquio, as reúne, frente a frente, para tentar provar que o sonho é mais forte que a tragédia. O filme retrata sonhos compartilhados entre um grupo de mulheres que dedicam sua vida ao esporte.

O produtor Caio Gullane revela o porquê de apostar no atletismo: “Enxergamos uma grande potência narrativa pelo fato do 4×100 ser uma das poucas categorias dessa modalidade esportiva que requer uma equipe muito unida e sincronizada e, para além, que conta com a passagem de bastão por todas as integrantes da equipe. Entendemos que esse ato em si, da passagem, acaba sendo muito cinematográfico: a necessidade de se trabalhar em grupo para alcançar o objetivo final. É bastante simbólico e há um espelhamento das características dessa categoria na própria dramaturgia: as protagonistas são guiadas por essa necessidade de deixar as diferenças de lado e se juntarem para ir atrás de um sonho em comum”.

A direção é de Tomas Portella, que já assinou como diretor os longas “Qualquer Gato Vira-Lata” (2011) e “Desculpe o Transtorno” (2016) e foi diretor assistente nas produções “O Incrível Hulk” (2008) e “Meu Nome não é Johnny” (2008). A atriz Roberta Alonso assina também o argumento e é coprodutora. O filme conta ainda com os atores Augusto Madeira e Kauê Telloli no elenco. O longa-metragem é uma produção da Gullane, com coprodução da Globo Filmes, do Telecine e da RAM, e distribuição da Imovision.

Sinopse

Uma derrota do time de revezamento 4×100 nas Olimpíadas do Rio marca para sempre as vidas das atletas. Anos depois, Maria Lúcia, a culpada pela eliminação, segue brilhando no atletismo e na mídia, enquanto Adriana, que trabalhou duro na competição, vive frustrada de pequenas lutas de MMA. Agora, elas têm uma nova chance de reescrever suas histórias. Será que essa dupla conseguirá deixar suas desavenças de lado pelo grupo e provar que o atletismo feminino segue mais forte do que nunca?

Elenco: Thalita Carauta (Adriana), Fernanda de Freitas (Maria Lúcia), Roberta Alonso (Rita), Priscila Steinman (Bia), Cintia Rosa (Jaciara), Augusto Madeira (Victor) e Kauê Telloli (Caio)

Ficha técnica

Roteiro: Carlos Cortez, Caroline Fioratti, Juliana Soares, L.G. Bayão, Mauro Lima e Tomas Portella

Direção: Tomas Portella

Direção de Fotografia: Pedro J. Márquez

Direção de Arte: Claudio Amaral Peixoto

Montagem: Bruno Lasevicius

Direção de Produção: Fernando Lira

Produção de Elenco: Alessandra Tosi

Figurino: Gabriela Campos

Caracterização: Patrícia Martinelli

Música Original: Supersonica

Som Direto: Luciano Raposo

Supervisão de Som e Mixagem: Miriam Biderman

Desenho de Som e Mixagem: Ricardo Reis, ABC

Supervisão de Efeitos Visuais: Eduardo Schaal, Guilherme Ramalho e Hugo Gurgel

Supervisão de Pós-produção: Patrícia Nelly

Produção Executiva: Ana Saito, Claudia Büschel, Daniela Antonelli Aun, Gabriela Tocchio, Pablo Torrecillas e Rodrigo Castellar

Produzido por: Caio Gullane, Fabiano Gullane, André Novis e Debora Ivanov

Coproduzido por: Roberta Alonso

Produtores Associados: José Alvarenga Jr., Paulo Vilhena e Jean Thomas Bernardini

Produção Associada: Imagens do Brasil

Coprodução: Globo Filmes, Telecine e RAM

Produção: Gullane

Distribuição Brasil: Imovision

Sobre a Gullane

A Gullane é uma das maiores produtoras e incentivadoras do mercado audiovisual brasileiro, além de uma das principais exportadoras de obras independentes. Fundada em 1996 pelos irmãos Caio Gullane e Fabiano Gullane, já soma em seu catálogo mais de 50 filmes lançados com destaque no cinema nacional e no exterior e 30 séries para televisão e plataformas digitais.

Entre os filmes e séries de destaque estão “Carandiru”, “Bicho de Sete Cabeças”, “O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias”; a franquia “Até que a Sorte nos Separe”; “Que Horas ela Volta?”, “Como Nossos Pais”, “Bingo – o Rei das Manhãs”; as séries “Alice” e “Hard” (HBO), “Unidade Básica – 1a e 2a temporada” (Universal Canal), “Carcereiros” (Globoplay), “Irmãos Freitas” (Space e Amazon Prime), “Ninguém Tá Olhando” e “Boca a Boca” (Netflix). Já coleciona mais de 500 prêmios e seleções em importantes festivais de cinema e televisão do Brasil e do mundo como Mostra de Cinema, Festival do Rio, Cannes, Veneza, Berlim, Sundance, Toronto, MIPTV e Emmy.

Sobre a Globo Filmes

Criada em 1998, a Globo Filmes atua como coprodutora de conteúdo multiplataforma com o propósito de fortalecer a indústria audiovisual nacional. Participou de mais de 300 filmes, levando ao público o que há de melhor do cinema brasileiro. Comédias, romances, documentários, infantis, dramas, aventuras: a aposta é na diversidade de obras que valorizem a cultura brasileira.

Fazem parte de sua filmografia recordistas de bilheteria, como ‘Tropa de Elite 2’ e ‘Minha Mãe é uma Peça 3’ – ambos com mais de 11 milhões de espectadores –, sucessos de crítica como ‘2 Filhos de Francisco’, ‘Aquarius’, ‘Que Horas Ela Volta?’, ‘O Palhaço’ e ‘Carandiru’, até longas premiados no Brasil e no exterior, como ‘Cidade de Deus’ – com quatro indicações ao Oscar – e ‘Bacurau’, que recebeu o prêmio do Júri no Festival de Cannes.

Sobre o Telecine

Telecine é um hub de cinema. Joint venture da Globo e dos maiores estúdios de Hollywood, reúne mais de 2000 filmes, dos mais variados gêneros, selecionados a partir de uma curadoria especializada e comprometida, que alia tecnologia e inovação para promover a melhor experiência. Pela internet, a plataforma de streaming é a única dedicada exclusivamente ao cinema. Lançamentos exclusivos e clássicos de grandes estúdios de Hollywood, nacionais e do mercado independente compõem o acervo mais completo de filmes. Líder de audiência na TV paga no Brasil, reúne em seis canais lineares segmentados por gêneros as produções que o público quer ver. Pela internet ou na TV, Telecine proporciona o seu momento cinema quando e onde você quiser. Acesse telecine.com.br.

Sobre a Imovision

Presente no Brasil há 30 anos, a Imovision vem se consolidando como uma das maiores incentivadoras do melhor cinema mundial na América Latina, tendo lançado mais de 500 filmes no Brasil. Criada pelo empresário Jean Thomas Bernardini, a distribuidora tem em seu catálogo, realizações de consagrados diretores estrangeiros e brasileiros, e filmes premiados nos mais prestigiados festivais de cinema do mundo, como Cannes, Veneza e Berlim. Mantendo seu foco em títulos de qualidade, a Imovision fortificou o cinema francês no Brasil e foi a responsável por introduzir cinematografias raras e movimentos internacionais expressivos no país, como o Movimento Dogma 95 e o Cinema Iraniano.